sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Pizzolato jogou água no champanhe da direitona

Reprodução de artigo de autoria de Antonio Barbosa Filho, publicado em seu blogue VALEPENSAR em 17/11/2013.



Estava tudo preparado para a direitona brasileira (quase escrevi nacional, mas não podemos nos esquecer que os nossos golpistas apenas repetem o que lhe manda o fascismo internacional, é colonizada de corpo e alma) estourar o champanhe francês em comemoração à vitória da mentira e do ódio sobre a Justiça. Mas não é que o réu cuja inocência está mais provada entre todos os do "mentirão", Henrique Pizzolato, escapuliu para a Itália, não para fugir da Justiça, mas para buscá-la?

Não vou repetir aqui as pilhas de provas já publicadas, como no livro do excelente repórter Raimundo Pereira, pois quem quiser poderá acessá-las facilmente. São tão gritantes, que qualquer pessoa de bom-senso se escandalizará com a armação feita pelo PIG (Partido da Imprensa Golpista) com a ativa participação de Joaquinzinho Barbosa e dos ministros do STF que temem seus esculachos públicos e sua cara-feia. Basta recordar uma coisa óbvia, que desmonta toda a farsa: o dinheiro da Visanet não é dinheiro público, e os contratos que aquela empresa multinacional fez com as agências de publicidade foram cumpridos! Não houve aí nenhum crime. E, se tivesse havido algo errado, os contratos foram assinados por três diretores do Banco do Brasil nomeados no governo Fernando Henrique, quando Pizzolato nem estava na função!

Como eu previa há meses, o Brasil passará um vexame internacional por ter permitido que a nossa Suprema Corte se transformasse num tribunal de exceção, com objetivos e condutas políticas e eleitoreiras. Você não se surpreendeu quando a primeira condenação dos "mensaleiros" saiu exatamente na véspera do primeiro turno da eleição de 2012? E a segunda onda de condenações "coincidiu" exatamente com o segundo turno? E quando Joaquinzinho trabalhou no feriado da República, para que os condenados fossem presos naquela data histórica? Ora, quem não enxerga o esquema, o calendário político do STF, certamente já colocou as meias na janela para esperar o Papai Noel que virá voando no seu trenó...

O fato é que a festa da direitona acabou frustrada. O champanhe ficou aguado, porque um dos principais réus, aquele que seria o elo necessário entre dinheiro público e "mensaleiros", conseguiu fugir da perseguição frenética do Joaquinzinho, e vai botar a boca no mundo, mostrando aos juristas e políticos, e à opinião pública internacional, como foi dado um golpe institucional no Brasil. Voltamos a ter presos políticos em pleno século 21!

Ao contrário do que desejava a direitona, especialmente o Joaquim e a mídia golpista, é que o assunto morresse por aqui, com todos os réus na cadeia. Teriam o que falar na campanha eleitoral de 2014. Não conseguiram as imagens de José Dirceu, José Genoíno e outros líderes do PT, algemados e humilhados num camburão, como se fossem criminosos. Ao contrário, os braços erguidos e a altivez de Dirceu e Genoíno deram um banho de dignidade aos porcos. E tudo se completa com a presença de Pizzolato perante a Justiça italiana, que nossos golpistas não conseguirão comprar ou intimidar. Vamos assistir ao anti-mensalão, agora em italiano e com repercussão mundial.

Nesta segunda, no ato em que será entregue o prêmio Juca Pato de "Intelectual do Ano" ao meu amigo Audálio Dantas, vou encontrar-me com alguns dos principais jornalistas e escritores do Brasil. Defenderei a necessidade de uma grande mobilização dos intelectuais, como também dos trabalhadores e de todos os democratas, para reagirmos e derrubarmos esta ditadura imposta pelo PIG-STF. Ou voltamos à trincheira da luta democrática, como fizemos contra a ditadura militar, ou o Brasil será irrespirável, um país sem leis e cheio de ódio de uma falsa elite pelo nosso Povo. Confio plenamente nos brasileiros e na sua vigorosa resistência. Ditadura, mesmo da mídia cartelizada e do Judiciário, nunca!


Nenhum comentário:

Postar um comentário